Leia também...

Um novo dia 13

13, o número considerado de azar por quase toda a gente. É uma pena que as pessoas pensem dessa forma.

Fará este ano 103 anos desde as primeiras aparições aos pastorinhos. Maria, mãe de Jesus, mostrou-se ao mundo, de forma tão simples, a três meninos que se encontravam no campo com os seus rebanhos, no dia 13 de maio de 1917. Ninguém acreditou nas crianças inocentes, desprovidas de qualquer maldade em seus corações, levando multidões de adultos, cegos pelo que não acreditam sem tocar, a criticá-los e a acusá-los de mentiras graves.

Foi feita justiça: as pobres crianças foram libertadas da ira dos que não acreditavam. Nossa Senhora apareceu para todos, novos, velhos, os que acreditavam e os que não queriam acreditar.

Um Santuário foi erguido, em memória das aparições da Nossa Senhora em 1917 e com o objetivo transmitir fé às gerações futuras. Este local testemunhou os altos e baixos do mundo, foi visitado por 4 Papas, que se “arrepiaram” com a presença de Maria e com as multidões que vestem todos os anos o Santuário de Fátima.

Infelizmente, em 2020, não poderemos visitar o Santuário, neste 13 de maio, devido a uma pandemia que apareceu com o intuito de mostrar que sozinhos não somos invencíveis. Nós somos meros grãos de areia espalhados e separados uns dos outros. Precisamos de nos juntar, formando uma rocha, rocha essa que conseguirá derrubar e ultrapassar dificuldades que se têm colocado no nosso caminho.

Para que nos consigamos juntar, necessitamos que haja união, amor, paz e fé. Temos de acreditar na Nossa Senhora, que sempre olhou por nós.

Como não nos podemos unir presencialmente no Santuário neste dia 13, convidamos a que toda a gente se una em espírito, enchendo os corações de amor, paz e fé e reze a Maria, que nos proteja como sempre o fez.

Sejamos inocentes crianças, como os pastorinhos, tendo fé que o pior passará e que o mais rapidamente possível estaremos de volta para nos abraçarmos.